31 de janeiro de 2016

[Resenha] - A Cor do Leite

 


Autor: Nell Leyshon
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2014
Páginas: 208


O ano é 1831 e a história é contada pela própria protagonista: Mary, uma menina de 15 anos, em numa época em que as mulheres não tinham valor algum.


Mary é a mais nova de quarto irmãs; tem uma perna deficiente e os cabelos da cor do leite. O pai, não conformado por todas terem nascido mulheres, as obrigam a trabalhar na roça de sol a sol, sem nenhuma folga ou descanso. Sendo muitas vezes bastante severo nos castigos físicos.


Apesar de todas as dificuldades e a pouca idade, Mary é dona de uma personalidade forte e de uma língua afiada. Diante de acontecimentos marcantes ela resolve contar sua história para que todos tenham conhecimento.



"esse é o meu livro e eu estou escrevendo ele com as minhas próprias mãos." 


Após dado momento, ela tem que viver na casa do pastor da cidade, pois sua esposa encontra-se gravemente doente e precisa de ajuda. Mesmo totalmente contrariada, Mary não tem escolha. Porém lá um mundo diferente se abre e ela tem a oportunidade de aprender a ler e escrever.






Você vai se envolver, se emocionar e cativar por Mary. Ela não é uma mocinha de contos de fadas, é uma garota forte, atrevida e que sabe bem diferenciar obediência de submissão, numa época em que a voz feminina não era levada em consideração.


"eu não sabia. Sabia que tinha sonhos mas não sabia quais." 


O livro é todo narrado por Mary de um jeito simples, único e sincero. Todo em letra minúscula, o que traduz toda simplicidade da personagem.


A capa é linda e com acabamento emborrachado. A diagramação do miolo é simples e o começo de cada capítulo traz o título sozinho em uma página. Excelente trabalho da editora.


A Cor do Leite é profundamente sensível com uma história triste e ao mesmo tempo cativante e inspiradora. Não tem como não se encantar! Com certeza recomendo essa leitura.




"a gente só vive uma vez. a gente logo vai morrer e quando olhar pra trás vai perceber a vida miserável que a gente teve e não precisa ser assim."








Clique aqui e adicione A Cor do Leite no Skoob



7 comentários:

  1. Já fiquei curiosa desde o título. Gostei demais da sinopse e fiquei bem interessada na história. Apesar da falta de pontuação e as letras minúsculas ter sido proposital pelo autor, acho que eu teria um "troço" quando tivesse lendo. Kkkk

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Fernanda
    Sempre que eu vejo esse livro, me lembro do 'Branca como o leite, vermelha como o sangue' que, aliás, ainda não li, mas quero muito. Mas, também quero muito ler esse. Parece ser tão bonito e triste e tocante. Gosto de livros assim. Quando encontrá-lo baratinho, certamente o comprarei.

    Beijo,
    Branca como o leite, vermelha como o sangue

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Gostei da história. Parece ser muito sofrida, mas ainda assim fiquei curiosa. A personagem parece ser muito guerreira e quero saber o que acontece com ela no decorrer da história.
    Um beijo,
    Delírios Literários da Snow

    ResponderExcluir
  4. Oi Fernanda, eu conheci esse livro em outro blog, e na época não me interessei tanto por me parecer uma história bem triste. Você me passou que, apesar do drama envolto no personagem, temos luta. Fiquei curiosa para saber se a mocinha conseguiu superar tudo isso. Enfim, foi para a lista de desejos.
    Beeijos
    http://lua-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Hello :)

    Não conhecia o livro e lendo a sua resenha, até me interessei, mas no final, quando você falou sobre as letras minúsculas, fui super desencorajada. Gostei da ideia do livro ser escrito exatamente com a essência da personagem, mas essa questão com certeza me colocaria desorientada e eu trataria de rabiscar o livro inteiro arrumando os erros, porque eu simplesmente não consigo me controlar e essas coisas me incomodam demais.

    Beijinhos e que a Força esteja com você!
    www.cantinhocult.com
    www.galerageek.com.br

    ResponderExcluir

© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo