19 de setembro de 2016

[Resenha] Umbral das Trevas


UMBRAL DAS TREVAS
Autor: Alex Villechaize
Editora: Alex Villechaize
Ano: 2016
Páginas: 124
Vendido por: Amazon

E-book cedido em parceria com o autor

Sinopse: "Lá dentro da casa, tudo era silêncio, penumbra e séculos. Cidão adentrou a sala de estar e parou, assustado. Lá estavam os pais de Filomena na mesma posição em que os havia visto da última vez, quarenta anos atrás. Sentados, imóveis, lado a lado, na poltrona em frente à TV desligada. Cidão aproximou-se devagar. Tocou o braço da Dona Juraci. Estava gelada. De repente, a cabeça dela caiu dos ombros e rolou pelo tapete. Seca e oca como uma cabaça. O corpo, também seco e oco, tombou para o lado, enquanto sua cabeça caía para trás em noventa graus. E, da boca aberta, palhas e penas começaram a se agitar. Um pardal pequeno surgiu dali. O passarinho se equilibrou nos lábios secos e mortos por alguns segundos e se jogou em voo pela sala. Cidão tropeçou nos próprios pés, deu meia volta e saiu correndo pela porta por onde havia entrado."



O livro nos traz contos diversos, com histórias que contêm terror, outras com toques sobrenaturais, e até de zumbis.

Os personagens principais dos contos variam de acordo com a imaginação do autor. Alguns são pessoas sofridas, cuja dor e tristeza são capazes de tocar o coração do leitor. Outras, tão sábias que querem passar todo o conhecimento que têm para os demais. Essa diversificação faz com que o leitor experimente diversas personalidades, cada um com identidade própria, o que eu achei um ponto interessante no livro.


"Lembrou-se do documentário do fim-de semana, sobre os corais do Caribe extintos como o aquecimento dos oceanos. Lembrou-se de que um tubarão pode detectar o equivalente a uma parte de sangue em cem milhões de partes de água. A chance de morrer indo jogar na loteria é maior do que de se ganhar. Foi o minuto e meio mais longo que poderia passar dentro de um elevador."


Alguns contos trazem acontecimentos do dia a dia, como tomar um café da tarde e observar uma fileira de formigas que se forma ao redor de um alimento doce. Mas, é claro que, de forma poética e um tanto quanto diferente de se observar tal cena corriqueira.

A escrita do autor é um diferencial, pois ele se utiliza de uma linguagem um pouco mais rebuscada, pelo que fiquei um pouco saudosista de grandes escritores brasileiros do passado, já que as palavras usadas se assemelham um pouco.


"Mas que doideira. Não sei quem são os atores. Tem algo errado. Em algum lugar da sua mente especializada em buscar padrões, comparar e ordenar, que o tornara um ótimo matemático, havia a mensagem de que tal filme não existia, pois conhecia todos os Napoleões cinematográficos; aquelas imagens não pertenciam a nenhum filme conhecido."


Além disso, Alex "brinca" com o sentido figurado das palavras, o que, em minha opinião, enriquece muito o texto e torna o conteúdo do livro ainda mais interessante.

O autor, em alguns pontos do livro, "parte" as frases, colocando pontos finais em pequenos períodos. Achei desnecessário e isso me incomodou um pouco na leitura, pois dificultou o entendimento do que ele quis passar com tais frases.


"Não me lembro se sempre foi assim, mas a realidade é um breu interminável, cru, sem profundidade, altura, comprimento, sem agora ou depois, longe ou perto, umidade, calor, presença, nome, lembrança. É um turbilhão de coisa nenhuma. Às vezes, um feixe de luz. Uma estrela cadente. Um brilho fugaz. Passam velozes. Passam na direção de um significado."


Indico para quem curte livros de contos e esteja aberto a essa forma de escrita poética, com linguagem mais formal e histórias diferentes do que estamos acostumados a ver, pelo que aproveito para parabenizar o autor pela originalidade.


Clique aqui e adicione Umbral das Trevas no Skoob





8 comentários:

  1. Olá,
    Desconhecia o autor e fiquei feliz por conhecer um pouco mais sobre ele e sua obra.
    Estou virando grande adepta de contos e principalmente de terror ou suspense. O que me chama muito a atenção é o fato de o autor brincar bastante com o sentido figurado das palavras e concordo com você que agrega bastante à obra e fico feliz pela originalidade.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu não conhecia esse livro de contos, como assim? Adoro contos, principalmente se o tema é terror, amo mais ainda. Fiquei muito curiosa para conferir a obra. 'Eu odeio esse negócio de falar tipo assim. É muito chato. Bastante.' ahahaha Acho que vou odiar essa parte só...
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  3. Caracaaaa já quero muito esse livro!
    Apesar de ainda não ter lido um livro de contos me interessei muito por esse. Fiquei bem curiosa para ver a originalidade do autor. Já gostei dele, tomara que eu curta o livro assim! Ótima indicação! Bjinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Karla!
    Não conhecia o livro, mas interessante essa premissa geral dos contos. Por ter um pouco de sobrenatural e terror eu provavelmente não leria, e mais essa parte da narrativa mais rebuscada e poética, às vezes me perco um pouco nesse tipo de escrita quando leio, não são todas que conseguem prender minha atenção, mas realmente parece ter, nesse caso, assumido um tom bem original por entre os contos diversos. Valeu a dica mesmo assim.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br/ ♥

    ResponderExcluir
  5. Não fiquei com vontade de ler, primeiro por não gostar de contos, esse gênero dificilmente me prende, e segundo por ter terror e até zumbis, que são os seres que mais odeio no mundo... Rs... Também não sou fã de escrita poética nem de linguagem rebuscada, ou seja, não é mesmo pra mim.

    ResponderExcluir
  6. Oi Karla, não sou muito de ler contos, sempre que me proponho a pegar um livro desse demoro horrores para terminar. Mas este me chamou atenção pela diversidade de personalidades que você citou e esse resgate da escrita rebuscada, contudo não é um livro que eu leria, mas ainda assim achei interessante

    ResponderExcluir
  7. Oi Karla!
    Sou fã dos contos por serem leituras rápidas e terem uma agilidade sem igual. E esse tem uma temática bem diferente das que estou acostumada a ler.
    Tenho curiosidade em ler livros com histórias de terror, mas acabo sempre deixando pra lá. Acho bacana começar por contos por serem mais curtos e não exigir tanto de mim como um livro completo. Acho que seria uma experiência bem bacana. E, pelo que vc falou, o único ponto que me deixou com o pé atrás foi o fato da linguagem mais formal, que eu realmente não curto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá Karla, confesso que não sou fã de contos e muitos menos de terro, ECA. Mas como você disse que tem de sobrenaturais, fiquei um pouco curiosa. Adoro livros com linguagem rebuscada, afinal sou fã d romances históricos hehe Adorei a recomendação e está anotada.
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir

© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo