7 de outubro de 2016

[Homenageado do Mês] Carlos Drummond de Andrade


Nesse mês de outubro, quando seria o aniversário de Carlos Drummond de Andrade, o blog Pacote Literário traz aos seus leitores uma pequena homenagem a esse grande escritor brasileiro. Autor de obras mundialmente conhecidas, a simplicidade em sua escrita e a profundidade das suas reflexões são suas características. 

Vamos saber um pouquinho mais sobre esse brilhante escritor?

Carlos Drummond de Andrade nasceu em 31 de outubro de 1902, na pequena cidade de Itabira, interior de Minas Gerais localizada a pouco mais de 100 km da capital, Belo Horizonte.

Considerado por muitos o principal poeta do século passado, Drummond escreveu também inúmeros contos e crônicas e morreu no Rio de Janeiro em 17 de agosto de 1987.
Estudou em Belo Horizonte/MG e em Nova Friburgo/RJ, tendo retornado posteriormente à capital para cursar Farmácia na Universidade Federal de Minas Gerais. Nessa época, fundou "A Revista" para divulgar o modernismo no Brasil.

Mais tarde, em 1925, se casou e teve um filho, Carlos Flávio, que faleceu poucos minutos após o nascimento. A ele, Drummond dedicou o poema "O que viveu meia hora", que consta no livro "Poesia Completa".

Algum tempo depois nasceu sua filha, Maria Julieta Drummond de Andrade, também escritora e com diversos livros publicados. Aos 11 anos, Julieta foi retratada em um quadro de Cândido Portinari. Morreu de câncer alguns dias antes da morte de seu pai.

Além de brilhante escritor, Drummond foi funcionário público por muitos anos e um infarto do miocárdio com insuficiência respiratório lhe tirou a vida no ano de 1987.

A importância desse autor é comumente expressada em diversas formas, como por exemplo, sua efígie foi impressa em notas de cruzados novos, foi retratado no cinema e na televisão e, até a atualidade, temos estátuas de Drummond nas cidades de Porto Alegre e Rio de Janeiro, além de um memorial em sua homenagem em sua cidade natal.
Trechos de algumas de suas obras se tornaram slogans, foram utilizados pela publicidade e são utilizados pelas pessoas no dia a dia sem, muitas vezes, sequer sabermos da autoria. 

Seguem alguns:

"Há vários motivos para não se amar uma pessoa e um só para amá-la." 


"A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.”

"Tenho apenas duas mãos e o sentimento do mundo."

"No meio do caminho tinha uma pedra. Tinha uma pedra no meio do caminho." 


Algumas obras do autor:




ALGUMA POESIA - 1930



Primeiro livro, oficialmente lançado por Carlos Drummond de Andrade, com versos livres e linguagem direta. 
Nesse livro, Drummond já demonstra traços que permanecerão por toda sua obra: a crítica social, o humor e a filosofia.



SENTIMENTO DO MUNDO - 1940


Publicado pela primeira vez em 1940, Sentimento do mundo é o terceiro trabalho poético de Drummond. Com um total de 28 poemas, traz o olhar do poeta sobre o mundo em que vive com um olhar crítico. A obra foi escrita enquanto o mundo se recuperava da Primeira Guerra Mundial, portanto retrata um tempo de guerras, pessimismo e dúvidas.



A ROSA DO POVO - 1945

Rosa do Povo, publicado em 1945, é considerada a melhor obra de Carlos Drummond de Andrade. É a integração da família, amigos e o cotidiano aos problemas sociais. Em versos livres, questiona as relações humanas e a marca política é extremamente profunda na obra.




CLARO ENIGMA - 1951

Sexto livro de Drummond, em Claro Enigma há uma preocupação com o resgate do poema clássico, com versos regulares.
Aqui o poeta, fala sobre o amor e a morte. Uma reflexão.







ANTOLOGIA POÉTICA - 1962

Em 1962, o próprio Drummond selecionou poemas para a edição de uma Antologia Poética. Organizados por nove sessões/temas que representam a obra. Sendo: O indivíduo; A terra natal; A família; Amigos; O choque social; O conhecimento amoroso; A própria poesia; Exercícios lúdicos e Uma visão da existência.



JOSÉ E OUTROS - 1967

E agora, José?

O livro reúne três obras de Drummond: José (1942), Novos Poemas (1948) e Fazendeiro do Arte(1954). 
É a partir dele que o poema José ficou popularmente conhecido e fez o verso que se repete pelo poema - E agora José? - virar uma expressão até hoje usada. 



10 comentários:

  1. Olá, meninas.
    Fiquei muito feliz em saber que o homenageado desse mês é o Drummond. Ele é o grande amor da minha vida, meu poeta favorito! Muitos de seus poemas eu sei de cor.
    Gosto muito de seu livro "Alguma poesia" e "Sentimento do mundo".
    Abraços.

    Minhas Impressões

    ResponderExcluir
  2. Oi Karla, sua linda, tudo bem?
    Adorei a homenagem que fez tão merecida. Que triste a história dos filhos dele. Eu conheço essa frase e concordo muito com ela: "A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.”, temos a escolha de aprender com a dor e nos fortalecer com ela, ou de permitir que ela nos destrua. Gosto muito do trabalho dele.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Aquela super bem informada que nem sabia que o Drummond tinha escrito contos e crônicas, além de poesia... Fiquei até com vontade de procurar alguns para ler, porque ele é um dos poucos poetas que me agrada. Tem estátua do Drummond em Belo Horizonte também. :)

    ResponderExcluir
  4. Gente, não sabia da história de vida do Carlos Drummond, momentos difíceis. Nunca li nada do autor, porque não curto muito poesia, mas nunca tinha parado para pesquisar suas crônicas ou contos. Provavelmente procurarei, já que é um ícone da nossa literatura.

    ResponderExcluir
  5. Ah que homenagem mais linda!!!
    Deu aquela vontade de ler todas as suas obras, e reler as que já conheço. Acredita que eu sabia José praticamente inteiro? Tinhamos que fazer um trabalho faculdade na aula de preparação vocal, onde precisávamos dar várias tonalidades e diversidades de som e o escolhido foi o texto. Ficou incrível a apresentação do poema :)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  6. Oi Karla.

    Adorei a homenagem que fez para Carlos Drummond. Apesar de ser um escritor brilhante e ter inúmeras obras, confesso que tenho pouco conhecimento sobre ele. Li pouquíssimas poesias dele e lendo sua homenagem percebi que quero mudar isso. Sua ideias deu incentivo para um projeto para ano que vem. Parabéns pela tão merecida homenagem.

    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Adorei a homenagem e desconhecia alguns fatos da vida do autor.
    É muito bonita a forma como ele resolveu demonstrar seu sentimento pela perda do filho e fiquei comovida nessa parte.
    Confesso que não sou muito de ler poesia e só conhecia algumas que fui obrigada a ler quando estudava, mas seu post me deu curiosidade de conhecer um pouco mais sobre seu maravilhoso trabalho e pretendo procurar para ler.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Meninas, poesia não é um gênero que eu leio constantemente, são bem poucos os autores que gosto no gênero e Drummond é um deles. A poesia dele me toca profundamente, foi bom recordar um pouco da vida desse autor tão brasileiro e nosso. Deu vontade de reler alguns livros :)

    ResponderExcluir
  9. Olá! Que coisa boa encontrar uma homenagem a um escritor e poeta tão querido! Meu preferido não chega a ser ele (é Manoel de Barros <3), mas tenho muito carinho por suas obras, principalmente por "E agora, josé?"! Parabéns, meninas! Adorei!

    Bjs,
    Yohana Sanfer
    http://www.papelpalavracoracao.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi meninas, tudo bem?
    Que legal essa homenagem! Drummond é muito amor e adoro seus poemas, sempre me fazem refletir sobre a vida, sobre minhas escolhas, sobre tudo.
    Esse quote aqui é muito perfeito: "A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.”
    Vou tentar acompanhar esse mês, parabéns!
    Beijos!

    ResponderExcluir

© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo