12 de março de 2017

[Entrevista] Laplace Cavalcanti

Olá, leitores!

Hoje temos a entrevista do autor Laplace Cavalcanti!

Além disso, tem muita informação e, claro, dicas de promoção! 

Vamos conhecer um pouquinho mais sobre ele?!




1 - Quem é Laplace Cavalcanti? 

R: Laplace Cavalcanti é um escritor que falhou miseravelmente quando tentou escrever seu primeiro livro, e que pretende um dia ver um roteiro seu ganhando vida nas telas dos cinemas. Ele nunca foi do tipo atlético, se saiu pior ainda quando tentou aprender a tocar um instrumento, e uma vez teve a brilhante ideia de dizer que amava suco de tomate sem nunca ter provado. E quando experimentou, detestou, e nunca mais quis ver um na frente. Agora uma certeza que possui desde sempre é que ele ama criar histórias, esse sempre foi o seu mundo. Quando pequeno ele não brincava com um boneco ou carrinho como os outros garotos, Laplace sempre precisou de espaço para fazer algo grandioso e planejado, envolvendo um cenário e vários de seus brinquedos. Por inúmeras vezes deu a hora do jantar em sua casa e ninguém podia comer porque a mesa estava repleta de brinquedos para alguma brincadeira que ele havia arquitetado.

2 - Quando e como começou a escrever?

R: Pelo que me recordo, foi aos 8 anos, e naquela época não eram livros, eram histórias em desenhos, como quadrinhos, que foram evoluindo até se tornarem textos, mas ainda não eram livros. Sabe os resumos de novelas que vemos nos jornais, informando os acontecimentos importantes de cada capítulo da semana? Era algo nesse padrão, e minhas primeiras histórias em texto foram inspiradas nas brincadeiras de barbie da minha irmã e suas amigas, eu ficava ouvindo do meu quarto elas brincando e a partir daí criei os primeiros personagens e tramas. Depois comecei a escrever roteiros de filmes, e em algum momento entre 2007 e 2009, se não me engano, tentei escrever meu primeiro livro, porém foi um tremendo fracasso e desisti, porque o texto literário é muito diferente do texto técnico dos roteiros cinematográficos que eu costumava escrever na época, e tive dificuldade em realizar essa migração. Em 2012 uma amiga minha também escritora, Joan Ferrer, estava trabalhando em um livro e perguntou porque eu não fazia o mesmo. Tentei novamente e finalmente consegui, não tendo parado mais desde então.

3 - Tem algum autor que considere uma referência para o seu trabalho como escritor?

R: Inúmeros, sempre procuro aprender um pouco com cada escritor que conheço e com seus textos que leio, mas os que mais me influenciam eu diria que são os brasileiros Lycia Barros, Felipe Colbert e Renan Carvalho, e o norte-americano Hugh Howey.


4 - Fale um pouco sobre “Tábula Rasa”. 

R: Falar que Tábula Rasa é uma distopia diferente das outras pode parecer uma campanha de Marketing barata, mas acredite, ela é diferente. O livro é repleto de reviravoltas, procurei desenvolver uma trama que fosse tomando um novo fôlego ao passar dos capítulos para que o leitor permanecesse preso a ela. Afora isso, você encontrará personagens que te deixarão com conflitos internos, porque não há ninguém 100% vilão ou 100% mocinho no livro. Gosto de personagens reais, com defeitos, e todas as atitudes que os personagens tomam possuem um motivo, nada está lá gratuitamente. É um livro que realmente vai mexer com a cabeça do leitor, posso te garantir porque isso é algo que adoro fazer em minhas histórias. Adoro brincar com a percepção e senso investigativo dos meus leitores, fazê-los acreditar que estão decifrando a verdade, ou que cometi algum equívoco e perdi completamente o rumo da trama. (kkkkk)

Confira as Primeiras Impressões aqui


5 - Tem algum personagem favorito em algum de seus livros ou um com quem mais se identifique? 


R: É meio complicado para um escritor responder isso, porque é o mesmo que perguntar a um pai se ele tem um filho favorito (kkkkk), mas quanto a me identificar eu diria que a Cláudia do meu livro A PÁGINA CERTA, por ser uma escritora brasileira lutando por seu espaço no mercado, como eu, e o David de TÁBULA RASA, por causa de sua determinação em lutar pelos seus sonhos. Gosto muito deles, mas há outros dois que eu classificaria em um nível um pouquinho acima, que podemos chamar de favoritos, só não deixe eles saberem disso, que seriam Renato, também de A PÁGINA CERTA, e Elizabeth de TÁBULA RASA. O Renato por ele ser um personagem completamente fora da caixa, você o ama e odeia ao mesmo tempo, eu realmente adorei tê-lo criado e me diverti horrores escrevendo suas falas e cenas. Já sobre Elizabeth eu não posso dar detalhes do motivo de gostar tanto dela por causa dos spoilers, você precisa ler TÁBULA RASA e depois vir conversar comigo (kkkkk).

6 - Quanto às características dos personagens, você se inspirou em alguém que conhece?

R: Algumas características dos meus personagens eu incorporei das minhas e de pessoas que eu conheço, contudo outras busquei em filmes/séries/livros ou até mesmo de experiências que obtive. A liderança de Elizabeth de TÁBULA RASA, por exemplo, tem algo da minha formação em Administração, onde estudamos o tópico. Quanto a personagens cujas características peguei minhas e de outras pessoas volto a citar o David de TÁBULA RASA, gosto de lutar pelos meus sonhos, por mais improvável que seja o cenário. Agora nenhum personagem que escrevi até hoje herdou tantas características quanto o Renato de A PÁGINA CERTA. Eu basicamente reuni nele várias particularidades minhas e de pessoas próximas a mim e multipliquei por 1000.

7 - Qual o seu próximo projeto?

R: Eu adoraria lançar uma nova edição de A PÁGINA CERTA, não sei se farei isso esse ano, quem sabe em 2018. Além disso tenho um romance dramático pronto, que está sendo revisado por uma amiga minha que é revisora, e tem um outro livro, o qual estou trabalhando no argumento e que, provavelmente, tentarei tocar para frente antes dos dois citados acima. Mas sobre isso não posso dar detalhes, quem sabe apenas dizer que se a humanidade não deixar de repetir os erros do passado, não importa o quanto tente, jamais se tornará algo melhor.

8 - Deixe um recadinho aos nossos leitores.

R: Se você já está inserido no universo da leitura, sabe bem o quão prazeroso esse lugar é, e se você está chegando agora, seja muito bem vindo a essa incrível viagem da qual você certamente não se arrependerá. Nunca deixe os livros de lado, nunca deixe ninguém te convencer a deixá-los de lado. Leia, leia muito. Leia no ônibus, na madrugada, leia quando você tiver cansado de ter lido. Essa é uma atividade saudável, contagiante, que só trará alegria para sua vida e te ajudará a enfrentar muitos momentos difíceis.




A versão impressa de A PÁGINA CERTA está esgotada, mas ele ainda pode ser adquirido na Amazon através do link (https://goo.gl/U928Rt). E ainda resta 1 exemplar impresso que estarei sorteando para quem adquirir o seu TÁBULA RASA na pré-venda e postar uma foto no facebook ou instagram até o dia 16 de abril com a #LançamentoTábulaRasa.

Laplace Cavalcanti, o Blog Pacote Literário agradece imensamente pela concessão da entrevista e deseja muito sucesso em sua carreira como escritor!

Redes sociais do autor:






3 comentários:

  1. Adorei responder a essa entrevista, é muito gratificante quando encontramos um blog que valoriza tanto a literatura nacional e abre espaço para os novos autores. :)


    Laplace Cavalcanti
    Autor de TÁBULA RASA

    ResponderExcluir
  2. Bacana a entrevista.
    Gostei de conhecer o autor

    bjks

    ResponderExcluir
  3. Adoro entrevistas! Ainda mais quando os autores falam sobre seus processos criativos! Ainda quero terminar de escrever meu livro, mas cada vez que tento tenho um bloqueio! Há!
    A entrevista foi bem arquitetada. Adorei saber mais sobre o Laplace =)

    http://vicioseliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo