26 de abril de 2017

[Série Indicação] Black Mirror


Oi pessoal!

O post de hoje é dedicado a uma série que descobri há algumas semanas, mas que já vale (e muito) a indicação aqui no blog: “Black Mirror”. Originalmente produzida por um canal britânico na primeira e segunda temporadas, a série foi adquirida pelo Netflix, plataforma que vem fazendo a alegria dos fãs de séries, uma vez que tem oferecido muitas opções nesse segmento.

A série tem formato de antologia; cada episódio é, na verdade, um mini-filme, com enredo e personagens próprios, sem conexão imediata com os demais capítulos. Dessa forma, é possível assistir aos episódios fora da ordem apresentada e sem preocupações com arcos de história complexos e extensos, o que pode ser um atrativo para aqueles que resistem a acompanhar produções com muitas temporadas e grande número de episódios já lançados.




Black Mirror” reúne histórias que têm as inovações tecnológicas como ponto central; mais especificamente, como estas podem interferir em todos os aspectos da vida humana, e com graves consequências. Todos os episódios são ambientados em um futuro próximo e, em todos eles, o desenrolar da história está intimamente ligado à tecnologia.

A título de exemplo, um dos episódios mostra um dispositivo que grava todas as memórias de cada indivíduo, como um filme; as lembranças, assim, podem ser revistas, avaliadas e escrutinadas, até mesmo por outras pessoas. Como se poderia esperar, os reflexos dessa possibilidade sobre o cotidiano são significativos e os resultados são desastrosos.





A temática policial também é recorrente em “Black Mirror”, uma vez que, muitas vezes, o desenvolvimento técnico e científico oportuniza novos tipos de crime e novas formas de cometer os tipos antigos, o que já é uma realidade da nossa era. Por essa razão, a série também é um prato cheio para os amantes das tradicionais séries policiais.

O aspecto mais interessante sobre “Black Mirror” é a sensação de proximidade; apesar do caráter futurista, todos os episódios retratam situações extremamente possíveis e, mais do que isso, prováveis, dada a velocidade do progresso tecnológico que estamos experimentando nos dias atuais. E é exatamente esse sentimento que provoca a grande reflexão proposta pela série: estamos preparados para lidar com as repercussões da era digital? Ao final de diversos capítulos, a percepção do espectador é a de que ainda estamos bem longe disso.



A série possui treze episódios, divididos em três temporadas, e está disponível no Netflix. A quarta temporada, que deverá ter seis episódios, poderá ser lançada ainda em 2017.

Deixe seus comentários abaixo e até a próxima!









3 comentários:

  1. Confesso que a princípio não curti a série, achei irritante, desconfortável e chata. Mas vendo os demais episódios entendi que esta é a função dela, ser inquietante e te fazer questionar certos comportamentos humanos. De qualquer forma não consegui assistir tudo rs... Mas gostei de ver a tua percepção ;)

    http://www.leiturasecomidinhas.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Leo! Ainda não tentei assistir a essa série, pois sempre prefiro as que contêm humor, as que são mais leves mesmo. Mas seu post me instigou, vou aproveitar o fim de semana para dar uma olhada nessa série. Abraço

    ResponderExcluir
  3. Oi Leo, eu já ouvi falar e mt bem sobre essa série. E vou assistir pra conferir. =)
    Essas são perfeitas pra mim, pq as que são mt seguidos os episódios me deixam nervosa... já que sou mestre em acumular episódio e depois quero ver td de uma vez... rsrsrs
    Bjks!

    ResponderExcluir

© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo