23 de junho de 2017

[Resenha] Oníria


ONÍRIA
Autora: Joana Santos Silva
Editora: Chiado
Ano: 2017
Páginas: 72

Livro cedido para resenha pela autora
Sinopse: "Oníria" são pedaços de uma vida, aconchegada entre o passado e o presente, entre o sono e o sonho. Inquietações que nos apanham de olhos ainda cerrados, desligadas da realidade apenas na medida certa.
Esta é uma obra de sobressaltos que podiam ser os nossos, povoada por desassossegos que são de todos. Feita de momentos que, ao romper da aurora, nos fazem seguir em frente.



Olá!!

Sempre acho que um livro de poesias é feito com a alma e sempre tem muito de quem o escreve.

Assim me senti lendo Oníria, de Joana Santos Silva. Um bálsamo para nossas vidas.



“Traz me de  volta aqueles ventosNo campo à espera de comida caseiraE eu à tua beiraAinda te vejo a trocar batatas por galinhasPara cozinhares para a JoaninhaMeu tudo, minha saudade”.
       Trecho de Avó, pág 19


Nostalgia, saudade e alento são ingredientes da escrita da autora e eu me peguei diversas vezes mergulhada dentro de mim mesma.


“Divagar, pensar em ti, escreverCompreender, a tua pessoa, voarTentar-te alcançar, mas ouvesNão sei se podesO barco está-te a levarNem de perto te consigo avistarChove, faz frio e chuvaE está só a minha presença, não a tua.”
   Trecho de Momento, pág 29



Só posso dizer o quanto intensa é a leitura de Oníria, li em uma sentada, mas deve ser degustado e sentido.


“Arrancada pergunto o porquêDeus diabo que me tormentasÉ por baixo das tuas bentasCego que não se vê Farei tudo para te recordarSerei eu contigo ao ladoSou oníria e te canto o fadoDe que nunca me vais deixar.”
 Trecho de Oníria, pág 60


A edição, pela editora Chiado, está linda e perfeita. A capa é maravilhosa, com um apanhador de sonhos na capa em tons de azul. O que traduz exatamente esse mundo de Oníria, um apanhado de sonhos e momentos em forma de poesia.

Leitura cheia de sentimentos e gratificante. Agradeço a Joana por essa oportunidade!

Clique aqui e adicione Oníria no Skoob





22 de junho de 2017

[Resenha] Medo - Entenda e Aceite as Inseguranças da Vida

MEDO
Entenda e Aceite as Inseguranças da Vida
Autor: Osho
Editora: Cultrix
Ano: 2017
Páginas: 224

Livro cedido em parceria com a Editora
Sinopse: Osho leva o leitor passo a passo a uma jornada por tudo que faz os seres humanos terem medo, desde a reação reflexa de "lutar ou fugir" do perigo físico até os medos racionais e irracionais da nossa mente. Só levando a luz do entendimento aos cantos mais sombrios do medo, diz ele, podemos começar a nos aventurar para fora dos limites da nossa zona de conforto e aprender a conviver, e ainda apreciar, a insegurança inerente ao fato de estarmos vivos. O livro termina com uma série de experiências de meditação destinadas a ajudar os leitores a vivenciar uma nova relação com o medo e começar a vê-lo não como um obstáculo, mas como um trampolim para uma maior autoconsciência e confiança na vida.





Olá, leitores queridos! A resenha de hoje é sobre o livro Medo, de Osho, uma leitura maravilhosa que me despertou muitas sensações, conforme descreverei abaixo. 

O livro é um apanhado de frases, falas e explicações obtidos em palestras feitas por Osho, com plateia ao vivo. Esse fato me impressionou em diversos momentos do livro, pois ele não teve qualquer dificuldade em expor seu pensamento, fazer críticas e citar inúmeros exemplos, mesmo com pessoas à sua frente ouvindo instantaneamente o que ele dizia.



Osho foi um líder religioso e espiritual que morreu em 1990. Com seus pensamentos inovadores, inspirou multidões ao propor uma nova forma de abordar, pensar e sentir a filosofia da espiritualidade.

"A morte é o único comunista do mundo; ela não se importa se você tem dinheiro ou se é um mendigo, se você é instruído ou não. Você não pode dizer: 'Espere aí, eu sou um erudito'."


Eu só o conhecia de nome e já havia lido alguns de seus textos na internet, mas jamais imaginei ter uma experiência tão diferente ao realizar a leitura completa de um de seus livros.

O autor começa com definições do que é o medo e de como o enxergamos de uma maneira tão prejudicial que nos provoca dor.

Ele também defende que nosso principal medo é com relação à morte e, em seguida, esclarece que devemos encarar a morte como uma etapa da vida, assim como o nascimento e a vida em si, os dias que passam, trabalho, estudo e demais atividades no decorrer do tempo que passamos no mundo.

"Então, uma coisa que eu gostaria de dizer a você é: não dê muita atenção ao medo, porque ele se torna uma auto-hipnose. Se ficar repetindo que vive com medo, que a sua vida é regida pelo medo, você será dominado pelo medo e o estará alimentando."


Ele também nos leva a pensar sobre um amor amplo, capaz de vencer o medo de tudo, inclusive a dor psicológica, que tende a ser a maior, já que, em regra, programamos assim a nossa mente.



Osho nos propõe enfrentarmos os nossos medos, pois nada mais são do que desafios que não deixarão de existir. Ou seja, a situação que nos coloca medo continuará lá, intacta. É normal sentir medo dela. Mas isso não mudará nada. O que mudará, de fato, é a nossa forma de enfrentar aquele obstáculo.

Me lembrei de um trecho que li na internet que diz: "Siga em frente e, se der medo, vai com medo mesmo!", cujo autor desconheço. Senti que Osho também quis passar essa ideia, mas ele foi além: ele explica porque o medo é inútil para nossas vidas e propõe reprogramarmos nossa mente para não o sentirmos mais (ou para, pelo menos, não o sentirmos mais como sentimos atualmente).

Osho também sugere que tenhamos paciência ao mudarmos de atitude, pois nem sempre conseguiremos, com a rapidez que queremos, pensar e sentir de uma nova maneira, de forma diferente do que sempre levamos a vida.

"Lembre-se sempre, a ausência não deve ser considerada um problema, porque nada pode ser feito com respeito a isso. Só a presença deve ser considerada um problema, porque então algo pode ser feito e ela pode ser resolvida."


Não é uma leitura rápida e sugiro que não o seja mesmo! São reflexões para serem analisadas, pensadas com calma e, é claro, exigem que nos deixemos levar por suas palavras e façamos um verdadeiro mergulho interno para que possamos aproveitar cada uma de suas frases.

Inicialmente, a leitura pode parecer maçante, mas os ensinamentos de vida são realmente sensacionais. E o autor exemplifica a maioria das lições através de acontecimentos  básicos do dia-a-dia, atitudes que geram negatividade, brigas e polêmicas entre casais, nos relacionamentos familiares, na rotina profissional e em todos os setores da vida.

Com uma narrativa densa e profunda em primeira pessoa, Osho consegue nos levar a muitas reflexões que, em mim, tiveram a consequência de despertar para modificar atitudes, hábitos e palavras que até então me acompanhavam.

Apesar de simples, a capa com a borboleta me remetem exatamente ao que o livro traz: a possibilidade de transformação. A fonte é pequena e as folhas são brancas, o que pode dificultar a leitura para algumas pessoas, mas para mim foi tranquila. Não encontrei erros de edição. 

Indico a quem gosta do tema, a quem curte livros sobre espiritualidade, a quem deseja melhorar o nível de autoconhecimento e, claro, recomendo que a leitura seja degustada, para que o essencial da escrita de Osho possa promover verdadeiras melhorias em sua vida!


Clique aqui e adicionMedo no Skoob

21 de junho de 2017

[Entrevista] Valéria Martins

Olá, leitores!

No post de hoje, o Blog Pacote Literário traz uma entrevista especial com a autora parceira do blog Valéria Martins!


Vamos conhecer um pouquinho mais sobre ela?!



1 - Quem é Valéria Martins?

R: 
Venho trabalhando para des-cobrir Valéria Martins há muito tempo. Quando penso que a conheço, algo muda e vejo o quanto ainda está oculto, e que preciso trabalhar mais... 

2 - Quando e como começou a escrever?

R: 
Muito pequena tinha diários. Ainda os guardo e leio de vez em quando. É riquíssimo ter diários. Registram a sua evolução (na melhor das hipóteses), as suas transformações. Recomendo. Então, comecei a ler e fui fisgada. Queria contar histórias. Fazia quadrinhos, arremedos de contos, poesias... Não sei por que, isso se tornou uma fixação que perdura até hoje. 

3 - Tem algum autor que considere uma referência para o seu trabalho como escritora?

R: João Gilberto Noll, escritor gaúcho com quem tive o prazer e a honra de trabalhar como agente literária. Eu já o admirava antes disso e a vida nos aproximou naturalmente. Uma honra e uma dádiva poder estar perto dele, o quanto ele permitia, e aprender com ele. 

4 - Fale um pouco sobre "A matéria dos sonhos”

R: Em 2002 estive na Chapada Diamantina, Bahia, um dos lugares mais bonitos do mundo. Quis escrever uma história de amor que se passasse lá. Não é uma história de amor convencional, mas gosto muito dela. É a história da busca de uma mulher por conhecer a si mesma e pela felicidade.


resenha aqui


5 - Tem algum personagem favorito em algum de seus livros ou um com quem mais se identifique?

R: Eu me identifico um pouco com a Mariana, da Matéria dos sonhos. Quando adolescente, era gordinha. Sou filha única e fui um tanto mimada também. Mas a maior semelhança é que nós duas somos buscadoras.

6 - E quanto às características dos personagens, você se inspirou em alguém que conhece?

R: Não necessariamente.

7 - Qual o seu próximo projeto?

R: 
Estou burilando contos para um livro com título provisório Desassossego, a ser publicado pela editora 7Letras, do Rio de Janeiro. Os contos são tentativas de um fazer literário. É muito difícil para mim escrever literatura pois o jornalismo está impregnado na alma. Mas estou me esforçando e espero chegar a um bom resultado.


8 - Deixe um recadinho aos nossos leitores.

R: 
Quem ama escrever, deve ler bastante antes de pensar em publicar. Deve-se buscar referências de boa literatura de Língua Portuguesa: Eça de Queiros, Machado de Assis, Mia Couto, Clarice Lispector, Fernando Sabino e muitos outros. Para ser escritor é preciso, antes, ser bom leitor. De muitos e bons livros, quero dizer.





Valéria, o Blog Pacote Literário agradece pela concessão da entrevista, desejando-lhe muito sucesso! Admiramos o seu talento!!!


20 de junho de 2017

Livros & Esmaltes #28

Olá, pessoal!

Hoje trazemos nossa coluna quinzenal "Livros & Esmaltes", em parceria com o blog da querida Clauo, o MãeLiteratura.

Estabelecemos o tema "livre", bastando combinar a cor do esmalte com o livro da semana.

Vamos às nossas escolhas da vez?



Minhas Escolhas




Essa semana passei o Azul Estrelado, da Risqué em todas as unhas e o Lille, da La Belle N.A. no dedo anelar. Ambos esmaltes com ótima cobertura, cores fortes e um brilho lindo demais.
A leitura da vez é O erro, 2º livro da série Amores improváveis, um romance leve que estou gostando bastante!


Escolhas da Fernanda




"O esmalte é o Partiu Balada, da Vult. Excelente na esmaltação e eu adoro essa cor. O livro da vez é o Dois Mundos, em parceria com a Butterfly Editora. É uma distopia com fantasia e mitologia em seu enredo e posso dizer que está me surpreendendo.”


Escolhas da Clauo



"Escolhi esta semana Amazônia Poderosa, um esmalte da Risqué, coleção da Mulher Maravilha. Eu amei este tom! Também adorei o livro, A equilibrosa, da jornalista e mãe Mônica Calderano. Recomendo muito esta leitura!"




E aí? Gostaram das nossas escolhas? Já conheciam algum dos livros?
Para quem quiser participar, basta nos enviar um e-mail com a foto do livro e esmalte para: pacoteliterario@gmail.com.

Nada melhor que juntar nossas paixões e mostrar aos amigos e leitores!

Ficaremos felizes com a sua participação!!

Até a próxima!






19 de junho de 2017

[Parcerias] Thiago Savelli



Olá, queridos leitores! 

É com carinho que o Blog Pacote Literário anuncia mais uma nova parceria com o autor Thiago Savelli

Seja bem vindo ao Pacote Literário!

O Autor
Thiago Savelli nasceu em 1988, no Rio de Janeiro. O primeiro contato com a literatura veio ainda na infância, quando sempre lia um livro antes de dormir. A paixão pelo hábito maturou de vez na escola. Após anos lendo apenas clássicos complexos e difíceis demais para uma criança, uma genial professora passou o dever de ler Harry Potter. Desde criança não lia um livro tão divertido e assim a paixão ressurgiu.

A “carreira” de leitor seguiu passando pelos pontos fundamentais: Senhor dos Anéis, Nárnia, A Ilha do Tesouro, e muitos outros. O hábito da leitura consequentemente levou ao interesse na escrita, que sempre foi uma peça fundamental na sua vida. Desde novo contando e escrevendo histórias, na maioria bobas, mestrando RPGs para os amigos, mais bobos ainda. Mais tarde se tornou uma arma fundamental para superar os momentos difíceis. A ajuda para distrair, além de expressar os sentimentos, sempre foi importantíssima para superar os problemas. “Esta é a minha confissão” é a culminação de tudo isso. Menos do RPG.

A paixão pela escrita levou à carreira de jornalista. Desde de então trabalhou como na Universidade, na maior parte escrevendo roteiros e fazendo resenhas de filmes, que eram sem dúvida a parte mais divertida. Além de gostar muito de cinema, podia colocar o toque criativo e pessoal que tanto o fascina.

Fora o mundo literário tem outras paixões. Um tremendo nerd, especialmente por games, mas também por filmes e séries. Além disso, sempre que pode, está na frente da TV para ver um jogo de basquete ou futebol americano.

Obra


A história começa com um homem em casa sozinho esperando os amigos. É uma noite especial. Todos conseguiram arrumar um espaço na agenda atarefada para matar a saudade em um jogo de pôquer. Trabalho, família e as dificuldades da vida são alguns dos tópicos debatidos na mesa. Mas o anfitrião tem um motivo a mais para tornar a reunião ainda mais importante.

Um escritor sem muito rumo na vida e na carreira pretende aproveitar o evento para entregar uma carta a um dos amigos. A “coisa mais importante que ele já escreveu” é a confissão de algo terrível que ele pretende fazer, uma despedida e mais do que isso, uma explicação.
A noite começa bem divertida. Quando os amigos chegam, é só diversão e risada. Mas conforme a noite avança e a urgência para entregar a carta aumenta, o protagonista praticamente esquece que os outros estão lá e só mergulha no seu próprio pensamento. Afinal, a noite está passando e ele precisa tomar uma decisão. Ele precisa contar sua história.

Links


Aguardem que em breve teremos resenha!



18 de junho de 2017

Um pouquinho de Cecília Meireles



Recado aos amigos distantes

"Meus companheiros amados,
não vos espero nem chamo:
porque vou para outros lados.
Mas é certo que vos amo.

Nem sempre os que estão mais perto
fazem melhor companhia.
Mesmo com sol encoberto,
todos sabem quando é dia.

Pelo vosso campo imenso,
vou cortando meus atalhos.
Por vosso amor é que penso
e me dou tantos trabalhos.

Não condeneis, por enquanto,
minha rebelde maneira.
Para libertar-me tanto,
fico vossa prisioneira.

Por mais que longe pareça,
ides na minha lembrança,
ides na minha cabeça,
valeis a minha Esperança."




Cecília Meireles nasceu no Rio de Janeiro no início do século passado e é um dos grandes nomes femininos do cenário nacional quando se fala em poesia. Com dezenas de obras publicadas, tendo sido a primeira publicada aos 18 anos, foi professora e ganhou vários prêmios nacionais e fora do Brasil, inclusive após a sua morte.






15 de junho de 2017

[Filme] La La Land: Cantando Estações


Gênero: Musical
Ano: 2017
Elenco:  Amiée Conn, Ana Flavia Gavlak, Callie Hernandez, Cameron Brinkman, Candice Coke, Emma Stone, Finn Wittrock, Hemky Madera, J.K. Simmons, Jason Fuchs, Jessica Rothe, John Legend, Kiff VandenHeuvel, Meagen Fay, Miles Anderson, Rosemarie DeWitt, Ryan Gosling, Sandra Rosko, Sonoya Mizuno, Trevor Lissauer, Zoë Hall


Dirigido por Damien Chazelle, o filme nos conta a história do casal Sebastian, interpretado por Ryan Goslinge e Mia, interpretada por Emma Stone.

Ele, um pianista que ama jazz, tem oportunidade de tocar outros estilos de música e fica dividido entre sua paixão pelo estilo musical e a necessidade de ter uma renda para se sustentar, mas com um som que não lhe apaixona.


Por outro lado, Mia se encontra no início de sua carreira de atriz e sonha, a todo minuto, com fama, reconhecimento e sucesso.

Nos caminhos da arte, os dois têm encontros e desencontros; em alguns momentos, um deles tem sucesso no trabalho e é obrigado a ficar distante do outro. Um outro instante já é de fama para o outro, tendo que refazer novamente os seus planos na vida afetiva.

É claro que não vou contar o final dessa história linda de amor, mas posso dizer que gostei bastante e achei bem real, afinal, a vida também é cheia de altos e baixos na área pessoal e na profissional também!


Grande parte da história do filme é passada ao telespectador através de música e dança. Nesse momento, os cenários são ainda mais lindos, bem como os figurinos e maquiagens.

As cenas passam rapidamente na tela e logo se tornam outras, os detalhes têm muito movimento e muitas cores, o que torna a parte musical muito bonita de se ver!

Apesar disso, considerei muito extensa essa parte e, em alguns momentos, fez com que eu não entendesse corretamente a continuidade da história.

O restante do filme se desenvolve muito bem, com um toque dramático e muita paixão em cada uma das cenas.

Atuação dos atores me surpreendeu de maneira positiva, eles conseguiram realmente me encantar e eu não desgrudei os olhos da tela nem por um segundo!

O filme teve 14 indicações ao Oscar, tendo faturado os prêmios de: melhor atriz, melhor diretor, melhor fotografia, melhor design de produção, melhor música original e melhor trilha sonora; e 8 ao Globo de Ouro, tendo vencido: melhor comédia ou musical, melhor diretor, melhor ator em comédia ou musical, melhor atriz em comédia ou musical, melhor roteiro, melhor canção original e melhor trilha sonora.

O filme dividiu a opinião do público: alguns acharam a história muito superficial, apesar de a parte estética do filme e a atuação serem impecáveis. Outros se encantaram pela paixão musical do casal principal.

Apesar de considera-lo muito grande para a história que conta nas mais de 2 horas de filme, eu achei bom o enredo e adorei o final, que não tem nada de clichê.


Recomendo para quem curte uma história de amor bonita e bem escrita, com toques (às vezes cruéis) de muita realidade e drama.








© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo