5 de janeiro de 2018

[Resenha] Belas Adormecidas


BELAS ADORMECIDAS
Autores: Stephen King e Owen King
Editora: Suma de Letras
Ano: 2017
Páginas: 728

Livro cedido em parceria com a editora


SinopsePelo mundo todo, algo de estranho começa a acontecer quando as mulheres adormecem: elas são imediatamente envoltas em casulos. Se despertadas, se o casulo é rasgado e os corpos expostos, as mulheres se tornam bestiais, reagindo com fúria cega antes de voltar a dormir. Em poucos dias, quase cem por cento da população mundial feminina pegou no sono. Sozinhos e desesperados, os homens se dividem entre os que fariam de tudo para proteger as mulheres adormecidas e aqueles que querem aproveitar a crise para instaurar o caos. Grupos de homens formam as “Brigadas do Maçarico”,incendeiam em massa casulos, e em diversas partes do mundo guerras parecem prestes a eclodir. Mas na pequena cidade de Dooling as autoridades locais precisam lidar com o único caso de imunidade à doença do sono: Evie Black, uma mulher misteriosa com poderes inexplicáveis. Escrito por Stephen King e Owen King, Belas Adormecidas é um livro provocativo, dramático e corajoso, que aborda temas cada vez mais urgentes e relevantes.





Em mais esse livro de Stephen King, contando com a parceria de seu filho, o leitor apaixonado pelas obras de um dos mais célebres escritores dos gêneros de terror e suspense pode novamente mergulhar em mais uma história repleta de suspense, e muito bem servida de personagens.

Logo de cara eles nos apresentam, através de uma extensa lista, os vários personagens e lugares desenvolvidos no decorrer da trama. Muito provavelmente tomaram essa liberdade, no intuito de o leitor poder ter uma fonte de consulta rápida, dada a complexidade da história que envolve e discorre sobre muitas pessoas e núcleos diversos.




Apesar dessa riqueza de personagens, percebe-se, com o tempo, que alguns principais é que dão consistência ao enredo, protagonizando os fatos mais relevantes e decisivos.

A cidade, em questão, é Dooling. Ela fica em West Virginia e é avizinhada por outras duas pequenas e pacatas cidades; das três Dooling é a maior, sendo policiada pela xerife Lilá Norcross e seu modesto departamento.

Dooling também possui uma penitenciária feminina, onde o marido da xerife, Dr. Clinton Norcross, realiza seus trabalhos como o psiquiatra, atendendo as detentas em suas dificuldades comportamentais.

Os dias passam com seus conflitos corriqueiros: relações matrimoniais conturbadas, as questões da adolescência, os crimes corriqueiros, e assim por diante. Até que a cidade é pega de surpresa por uma forte explosão, a qual se segue eventos inexplicáveis sem controle.

Constata-se que a explosão partiu das instalações de Truman Mayweather, um nojento produtor de metanfetamina. No entanto o mais curioso é o que ocorre depois, com a ligação para a polícia. A prima desse traficante, assustada e traumatizada com o que testemunhou, descreve tudo à atendente: uma mulher invadiu o lugar e com uma força descomunal matou seu primo e o amigo dele, que também estava no local, poupando apenas ela de sua fúria.

A polícia encontra a tal mulher ensandecida, que se apresenta como Evie Black. Ela é levada para a cadeia e, após, por um pedido de Lilá ao seu marido, ao Presídio em que ele trabalha, para ser avaliada pelo psiquiatra, já que notadamente ela havia surtado.

Não bastasse esse evento, outro fato, ainda mais curioso começa a tomar conta de Dooling, alguma mulheres, ao adormecerem, passam a desenvolver uma infinidade de fios na face, até tomá-la por completo, formando uma espécie de casulo e mão interagindo mais com ninguém.



Muitos passam a se desesperar com a situação, buscando os hospitais. Esses não sabem o que fazer e não possuem respostas sobre o que estaria produzindo tal anomalia. A rede de saúde se vê obrigada a fechar as portas para evitar os tumultos, já que não dá conta de alojar à todos.

O que se descobre da pior maneira é o que não se deve fazer sobre esses tais fios ou casulos. Retirá-los não é uma boa ideia; as mulheres são tomadas por uma agressividade incontrolável, que pode custar a vida de quem os remove.

A população passa a viver em função desse evento inexplicável, que afeta apenas as mulheres, e quando adormecem. Muitas, pelo pânico de dormir, decidem se utilizar de qualquer tipo de artifício, droga lícita ou ilícita, para se manter acordada, temendo ser afetada pelo mesmo problema que atingiu as que adormeceram.

A situação começa a ficar caótica, mas, no meio disso tudo, acabam por observar um fato muito curioso no presídio da cidade. Enquanto todas as presas que adormecem acabam acometidas pelo casulo, uma específica, Evie Black, dorme e acorda normalmente.

Como esse mistério será resolvido? Será que a resposta virá de Evie Black, a presa imune?

Esses questionamentos são chaves para a trama, e conduzem o suspense em sua maior parte. Os conflitos interpessoais permeiam toda a trama e ilustram o cenário distópico.

Os escritores são bastante metódicos no desenvolvimento da personalidade de cada integrante da historio, apresentando cada um no ambiente em que está inserido. Isso, às vezes, se torna um pouco cansativo, pois num determinado capítulo ocorre o clímax de uma situação, e no próximo o ritmo decai drasticamente, com uma guinada no assunto.

Mas impossível não admitir a inegável capacidade dos King em criar personagens e situações inusitadas, pois a cada livro lançado a gente se pergunta: por que ninguém nunca pensou nisso?

O livro é longo, e anda devagar mesmo por um bom tempo, mas pra quem gosta e conhece Stephen King, sabe que essa é uma de suas vertentes; é um cara minucioso e imprevisível. Por isso não deixe de ler!


Clique aqui e adicione Belas Adormecidas no Skoob



6 comentários:

  1. Oie!
    Ainda não sei por qual livro desse autor eu vou começar a leitura. Ainda não li nada do autor, e apenas anoto as dicas para conferir futuramente. Mais um livro que me chamou muito a atenção.
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  2. Oiii tudo bem??

    Ainda não li nada do King acredita, sempre acabo vendo filmes ou series e não leio, e depois desanimo. Aconteceu isso com It.
    Gostaria muito de ler esse livro, mas vc disse que é lento e não sei se teria paciência, mas espero ler um dia.
    A história é bem diferente, curti bastante.
    Adorei a resenha.
    Bjs Rafa

    ResponderExcluir
  3. É um dos livros dele que tá na minha lista.
    Só me falta tempo, adorei sua resenha me me deixou ansiosa pela leitura.

    Bjs
    Suka P.
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá! Estou louca para ler esse livro. Realmente, a escrita dele é um pouco monótona, ele curte os detalhes. Mas depois que engrena, você não quer mais largar! Amei tua resenha fiquei com mais vontade de ler, beijos!

    Entre Livros e Pergaminhos

    ResponderExcluir
  5. Oie
    Gosto muito da escrita do King, já li um livro dele e concordo com vc quando disse que a leitura é um pouco lenta no começo, mas o suspense vale todo a pena. Fiquei bastante interessada em ler esse livro. ADorei a resenha.
    Bjos, Bya! 💋

    ResponderExcluir
  6. Oi Júnior, tudo bem?

    Eu nunca li nada do King, mas eu quero começar a ler, gostei muito da sua resenha sobre esse livro, ele tem uma boa premissa e não parece tão pesado para começar. Eu gostei da capa também :)

    Kisses.

    ResponderExcluir

© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo